sábado, 10 de agosto de 2013

Only God Forgives - 2013


Nicolas Winding Refn sempre entregou trabalhos de alto nível, mas seu maior mérito foi o aclamado e já clássico "Drive". Esse que ao mesmo tempo é o ápice da carreira do diretor, pode o levar a um desafio que ele provavelmente não conseguirá vencer!

É praticamente impossível não comparar "Only God Forgives" com seu antecessor. É certo que no cinema devemos fugir de comparações, cada obra é uma arte com seu conceito...mas na verdade quase nunca isso se aplica, ainda mais quando se trata de um fã do diretor/filme citado.

Sou fascinado pelo trabalho de Refn e "Drive" figura no top da minha lista de melhores filmes de todos os tempos! Não espere uma crítica imparcial, até porque esse blog nunca foi imparcial e acredito que qualquer crítica no ramo do entretenimento não seja parcial.

"Only God Forgives" possui um roteiro quase medíocre que só não foi fadado ao fracasso devido os recursos cinematográficos de seu diretor que consegue transformar cenas comuns em verdadeiras obras de arte. É um filme sobre vingança - essa que muitas vezes aliada a sentimentos familiares podem destruir um homem e suas convicções e o roteiro é basicamente isso.

É um filme de interpretações, nada aqui é entregue de bandeja ao espectador, cada personagem tem suas motivações que não ficam evidentes em tela...nos apenas observamos e como curiosos tiramos conclusões que podem ser precipitadas ou não.

A violência não é gratuita e ofensiva como crítica e público vem comentando; ela existe em doses cavalares e as cenas são fortes o suficiente para afastar qualquer indício de que Nicolas Winding Refn se renderia aos blockbusters. Destaque positivo para a trilha sonora que não fica atrás em qualidade para as outras produções comandada pelo Dinamarquês.

Ryan Gosling é o principal nome da película - ator que se tornou o "ponto de segurança" de Refn. Aqui o rapaz entrega uma atuação bem diferente de seu personagem em "Drive", com uma única ressalva, não diferente de seu protagonista anterior, Nicolas faz com que seu personagem principal tenha poucos diálogos, restando assim um trabalho minucioso de Gosling para compor um personagem um tanto quanto complexo. Kristin Scott Thomas é outro nome de peso no elenco; sedutoramente irreconhecível entregando uma atuação brilhante.

"Only God Forgives" apesar de inferior a seu antecessor, é fascinante! Um exercício cinematográfico que poucos compreenderão, mas jamais esquecerão de suas cenas!






Nenhum comentário:

Postar um comentário