quarta-feira, 17 de abril de 2013

A Delicadeza Do Amor (La Délicatesse) - 2011


Imagine um casamento perfeito consequencia de uma bonita história de amor, agora pense que de uma hora para outra sua esposa(marido) morre e seu mundo desaba. Essa é a historia de Nathalie Kerr (Andrey Tautou) que precisa redescobrir o amor um dia perdido e assim redescobrir o sentido da vida.

Após o trágico acidente que tira a vida de seu marido Nathalie resolve se dedicar inteiramente ao trabalho, e assim foi sua vida durante anos, mesmo com as investidas sem sucesso de seu chefe ao tentar roubar o coração da moça, ela esta "fechada" em seu mundo e não pensa em se relacionar novamente. Nathalie inicia um processo psicológico curioso ao se questionar se sua vida esta completa sem uma pessoa para amar, é esse o caminho que ela quer seguir, viver para sempre no luto?

As vidas de Markus Lundl (François Damiens) e Nathelie se cruzam em meio a rotina do dia dia, eles são colegas de trabalho e iniciam um "romance" de forma inesperada. Tudo seria normal se Markus não fosse um sujeito fisicamente "estranho" e uma pessoa totalmente solitária. Quando os mundos desses dois personagens colidem uma avalanche de emoções e redescobertas de valores invadem seus corações, uma nova vida se inicia para o casal.

Foi necessário narrar um pouco da historia para entender o que o diretor e roteirista David Foenkinos transmitiu através dessa bela película. Explorando ao máximo as fraquezas psicológicas de seus personagens o roteirista nos presenteia com diálogos emocionantes e divertidos que a todo momento nos faz rir e se emocionar. Foekinos ainda nos brinda com um ótimo trabalho de direção que procura inovar em algumas cenas resultado da influência que o diretor sofreu do cinema americano; unindo assim a sutileza dos europeus com a agilidade dos americanos.

A química entre os protagonistas é tão forte que raras vezes tive o prazer de contemplar um casal tão "forte" no cinema. Andrey Tatou dispensa apresentações e François Damiens é uma grande surpresa. O monólogo do personagem Markus Lundl no final da projeção é uma das coisas mais bonitas que já tive a oportunidade de assistir.

O cinema Francês caminha a passos largos para fazer frente ao cinema americano, a grande diferença entre os profissionais desses países é que os Franceses não estão na zona de conforto e procuram inovar sempre.

"A Delicadeza do Amor" é realmente delicado, faz o espectador se emocionar e acreditar que o amor existe e se encontra escondido em cada um de nós, no momento certo ele aparece!




Nenhum comentário:

Postar um comentário