terça-feira, 19 de fevereiro de 2013

Excision - 2012



Esse é um pequeno tesouro perdido no meio de tanas porcarias cinematográficas espalhadas por ai. Com uma direção segura que utiliza de elementos simples e originais e com uma impactante atuação de sua protagonista, "Excision" é um grande exemplo que o cinema independente pode nos proporcionar obras de qualidade indiscutível.

A história gira em torno da pertubada Pauline(AnnaLyne McCord) que entre sonhos e alucinações busca ser uma adolescente normal em um mundo que parece nao ser feito para ela. O objetivo de Pauline é ajudar sua irmã (Ariel Winter) mais nova a fazer um transplante de pulmão e assim conseguir a aprovação de sua mãe (Traci Lords).

Com um roteiro simples o espectador se ve mergulhado em uma mente doentia que é frequentemente invadida por cenas bizarras onde se misturam violência e sexo, essas cenas não soam gratuitas e tem como objetivo transmitir o que acontece na mente da protagonista.

O diretor Richard Bates Jr. utiliza alguns recursos cinematográficos simples mais de extrema eficiência. As cenas onde o festival de "bizarrices" acontece são utilizadas iluminações e posicionamentos de câmera estratégicos para passar aquilo que realmente é, uma alucinação ou sonho. Os monólogos de Pauline com Deus que acontece várias vezes no decorrer da projeção e não teriam o mesmo impacto se a garota não estivesse conversando com o público, o recurso utilizado aqui é como se o espectador fosse Deus.

Não se trata de um filme comum, não é uma película de terror apesar de utilizar bastante gore, "Excision" é um drama psicológico com altas doses de humor negro.

O final acontece de forma tão chocante apesar de previsivel, que deixa o espectador arrebatado e convida a refletir o quanto Pauline é culpada ou inocente por seus atos.




Nenhum comentário:

Postar um comentário