terça-feira, 11 de agosto de 2015

Cinquenta Tons de Cinza: Assista antes de se tornar uma bobinha submissa


Título: Cinquenta Tons de Cinza (Fifty Shades of Grey) - 2015
Diretor: Sam Taylor-Johnson
Roteiro: Kelly Marcel, E.L. James
Elenco: Dakota Johnson, Jamie Dornan, Jennifer Ehle


"Cinquenta Tons de Cinza" figurando por aqui?

É isso mesmo meu amigo, e antes que você fuja dessas linhas, eu preciso esclarecer que eu também tinha um "preconceito" com tudo relacionado aos livros, o filme e até os fãs (em sua maioria mulheres) que se encantaram por um história clichê e totalmente machista.

Meu preconceito continua, porém em escala menor. O livro eu não li e não farei, porém, assisti o filme com a mente aberta e encontrei um roteiro perdido, mas que poderia render boas histórias para o casal protagonista. Vamos lá!


Anastasia Steele é uma estudante de literatura, tímida, virgem e que vive em um mundinho particular e restrito. Ela substitui a amiga em uma entrevista com o milionário e "gostosão" Christian Grey, e se apaixona perdidamente pela cantadas de pedreiro que ele aplica na moça já nas primeiras cenas.

Agora leitor, pense na maioria das garotas que você conhece com a mesma descrição da personagem. Elas cairiam facilmente nas "garras" de um milionário sedutor?

O roteiro não tem muito o que dissecar da personagem Anastasia Steele que se mostra frágil e submissa por migalhas de amor, ou seja, é uma personagem vazia que nada acrescenta aos espectadores e mesmo a história. Ela seria apenas um trampolim para seu amado Grey, mas...


Como já deve ser de seu conhecimento, o rapaz é praticante de BDSM. Em certo momento da projeção, ele apresenta um quarto de "tortura e prazer" para a bobinha apaixonada. E logo depois emite um contrato de submissão, totalmente humilhante.

E o roteiro se foca nisso durante a maior parte da película. Um grande erro, até porque o lado psicológico do personagem Grey é interessante. Machucar sexualmente, fisicamente e moralmente quem ele ama, é um fuga psicológica que renderia um bom estudo de personagem, porém, a intenção do filme não é essa.

As cenas de sexo são esteticamente belas, porém, deixam a desejar se comparadas com os clássicos do cinema erótico. Destaque para a excelente trilha sonora, que ao menos da um "charme", nesse romance sessão da tarde com cenas de sexo.


Péssima atuação de Dakota Johnson (Anastasia Steele), que utiliza uma linguagem corporal irritantemente constrangedora, até mesmo para as garotinhas que se identificam com sua personagem. São mordidinhas nos lábios e olhares de sofrimento que não acabam.

Jamie Dornan (Christian Grey) é péssimo e só está ali por seus atributos físicos. A atuação do rapaz contribui ainda mais para a destruição de um personagem que seria interessante.

"Cinquenta Tons de Cinza" vale ser visto como curiosidade, por quem ama ou odeia essa história que virou, pasmem, best seller. Se tem alguma coisa que essa película trouxe de bom para o cinema, foi a possível volta do gênero erótico ao circuito.

E não morda os lábios!