domingo, 20 de abril de 2014

Noé: A filosófica arca de Aronofsky


Título: Noé (Noah) - 2014
Diretor: Darren Aronofsky
Roteiro: Darren Aronofsky
Elenco:  Russel Croew, Jennifer Connelly, Anthony Hopkins, Emma Watson

Posso classificar "Noé" como o primeiro blockbuster de Darren Aronofsky, o maior desafio do diretor em sua excepcional carreira que tem como destaque os premiados "Cisne Negro" e "O Vencedor". O grande dificuldade aqui era manter a linha filosófica com uma linguagem popular e inteligente, sem perder as características religiosas da história.

Se ele conseguiu? Certamente! Todos os elementos que o diretor já havia explorado em seus filmes anteriores estão presentes de forma acessível, pronta para agradar qualquer tipo de público.

A trama conta a história de Noé, um homem que recebe a missão divina de construir uma arca para salvar toda a criação de Deus de um diluvio que colocará fim a vida humana no planeta. Achou piegas?


Logicamente quem não é cristão encara a história como fantasiosa e até esquizofrênica, e foi essa linha explorada pelo roteiro (também assinado por Aronofsky). A batalha psicológica e espiritual que o personagem de Noé (Russel Crowe) sofre ao tomar decisões difíceis, vão de encontro ao caráter do personagem - que durante a projeção é amado e odiado pelo público por consequência de seus atos "divinos".

Como já era imaginado, Aronofsky usa e abusa do CGI (de alta qualidade) para as cenas de catástrofe, inclusive utilizando esses efeitos para compor personagens mitológicos - que possuem papel fundamental na trama.

O elenco é recheado de bons nomes, com destaque para Russel Crowe, que não perdeu o jeito de encarnar personagens históricos, em mais uma atuação de alto nível. A hipnotizante Jennifer Connolly aparece como Naameh, a esposa de Noé, um trabalho seguro e sem erros. O elenco de apoio conta com Ray Winstone, Anthony Hopkins, Logan Lerman e Nick Nolte, com atuações dignas e sem exageros.


Calma! Não esqueci da Emma Watson. Essa merece umas linhas de destaque por todo o hype exagerado em cima da moça. Eu me pergunto o que o público viu nessa garota? É uma boa atriz, nada além disso! A atuação da moça é semelhante a de Kristen Stewart em seus piores papeis, além da semelhança física que aqui está gritante.

"Noé" caminha sem tropeços na linha que divide os cinéfilos mais exigentes do espectador casual. É recheado de drama, aventura, guerra e filosofia. Questionamentos da veracidade da história serão feitos antes, durante e depois da projeção, ou seja, "Noé" é acima de tudo, polêmico!





2 comentários:

  1. Darren Aronofsky é um dos meus prediletos....Gostei de seu comentário. Se tem polêmica e mais tudo o que o diretor sempre apimenta em suas obras.......tenho certeza que aprovarei.

    abs

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ele conseguiu o que eu não esperava...criou um filme que agrada todo tipo de espectador. Aronofsky é definitivamente um dos gênios da atualidade.

      Excluir