segunda-feira, 21 de outubro de 2013

Amor Pleno (To The Wonder) - O Amor não é apenas um sentimento.


Título: Amor Pleno (To The Wonder) - 2013
Diretor: Terrence Malick
Roteiro: Terrence Malick
Elenco: Ben Affleck, Olga Kurylenko, Javier Bardem, Rachel McAdams


O que é o amor? Terrence Malick tenta nos responder sem sucesso, porém nos faz compreender por quais caminhos essa sentimento pode nos levar; caminhos esses muitas vezes desconhecidos e imprevisíveis.

"Você pensou que tínhamos a eternidade, e esse tempo não existe"

A frase é emblemática e condiz com o objetivo do diretor Terrence Malick em traduzir em imagens e sons um sentimento. O diretor faz parte do seleto grupo que possui identidade própria, com uma linguagem cinematográfica complexa e bela, que nos transporta para a história com uma sutileza gritante, quase fria.


Quem não gostou de Árvore da Vida, é melhor passar longe de Amor Pleno; apesar de possuir um ritmo e roteiro mais acessível, ainda é considerado cinema para poucos. A formulá pode soar cansativa até mesmo para os fãs do diretor, mas é inegável que ela ainda funciona, a ponto de colocar essa produção entre as melhores do ano.

O elenco possuí nomes de peso como Ben Aflleck, Olga Kurylenko, Rachel McAdams e Javier Badem. Com destaque para Kurylenko que vem em constante evolução e aqui entrega sua melhor atuação.

A película é uma poesia animada, os personagens estão ali para traduzir palavras em imagens, sons em emoções e sentimentos em experiência. As várias fases do amor carnal estão presentes, inicio, tranquilidade, ,crise, afastamento, traição e separação; assim como o amor divino, o amor da fé, que ganha vida através do personagem de Bardem que ama o invisível e muitas vezes o incompreendido.

Amor Pleno é um exercício cinematográfico que requer maturidade para ser absolvido, longe das metáforas e sonhos de princesas, o amor aqui é tratado de forma real e sem frescuras e mesmo assim soa tão belo e irresistível.

"O amor não é apenas um sentimento.
 O amor é um dever.
 Você amará"







terça-feira, 1 de outubro de 2013

Bad Milo - 2013


Quem não se encantou pelos adoráveis monstrinhos de "Gremilins"? Se você for da nova geração talvez não conheça esse clássico do cinema fantástico, mas chegou a hora de vocês terem seus próprios monstrinhos, esse com um grande diferencial, vem em formato de merda(literalmente), seu nome, Milo!

"Bad Milo" conta a história de Ken (Ken Marino) um sujeito que sofre de prisão de ventre e passa várias horas de seu dia no "trono"; Ken então procura uma médico que tem uma simples solução, introduzir objetos em seu ânus com objetivo de tirar toda "merda" que se encontra dentro do rapaz; para passar por essa experiência traumática, o sujeito procura o psicólogo Highsmith (Peter Stormare) que durante uma sessão de hipinose faz Ken colocar pra fora o pequeno demônio de merda, Milo!


O desenvolvimento dos personagens é excelente, a história é construída aos poucos, mesmo antes do monstrinho aparecer em tela, o espectador é envolvido pelo drama do protagonista, que passa por situações cômicas; lembrando que as cenas de humor, não soam gratuitas.

O diretor Jacob Vaughan optou por uma linguagem simples nas cenas onde o sangue rola solto; utilizando de efeitos especiais que estão longe de serem perfeitos, mas se encaixam na proposta da película. Todo o elenco parace se divertir com seus personagens, com destaque para Ken Marino e Peter Stormare, que possuem tanto carisma que quase deixam Milo em segundo plano.


"Bad Milo" é a resposta da nova geração para os "Gremilins". Bizarramente encantandor, esse monstrinho apesar de toda a merda, irá conquistar o espectador. Diversão rasteira e inesquecível!