sexta-feira, 31 de maio de 2013

Headhunters (Hodejegerne) - 2011


Esse é um daqueles filmes que entraram diretamente para minha lista de obrigatórios! "Headhunters" é um thriller Norueguês e foi a melhor obra daquele país que já tive a oportunidade de assistir.

Antes que alguem se pergunte, "headhunter" é uma profissão do tipo "caça-talentos", aqui o personagem principal faz recrutamento de pessoas para altos cargos em uma grande empresa.

Aksel Hennie é um dos grandes atores desse frio país, o sujeito foi protagonista do extraordinário "Max Manus O Homem Da Guerra"; aqui o sujeito vive Roger Brown o melhor headhunter da Noruega que financia seu luxoso estilo de vida roubando obras de artes de seus próprios clientes. Roger é casado com a bela Diana Brown (Synnove Macody Lund) que lhe apresenta Clas Greve (Nikolaj Coster Waldau) que é dono de uma pintura valiosa e um dos candidatos ao alto cargo que a empresa de Roger esta selecionando.

Apartir desse momento contar mais pode estragar todas as surpresas desse execpional roteiro; a direção da película que ficou a cargo de Morten Tyldum merece atenção já que passeia por varias influências cinematográficas para construir um estilo único e inovador; o ritmo "americanizado" aliado com as peculiaridades do cinema europeu é o grande diferencial do diretor.

Vale lembrar que o filme é uma adaptação do best-seller de Jo Nesbo que apresente o personagem Roger Brown como um individuo cheio de fraquezas; um ótimo exemplo disso é o monologo inicial onde Roger diz que se não fosse seu poder aquisitivo ele não teria a esposa que tem, até por sua altura que é considerada muito abaixo dos padrões daquele país; sua ambição serve de camuflagem para suas fraquezas; sua riqueza funciona como uma máscara que esconde um homem extremamente frágil - que aqui é obrigado a enfrentar todos os seus medos; o sujeito se "ferra" tanto no decorrer da projeção que em certo momento pensei "chega, o cara já se f... o suficiente".

A produção fez tanto sucesso ao redor do planeta que os americanos já compraram os direitos para um remake, totalmente desnecessário.

"Headhunters" possui ótimas atuações, personagens cativantes e se transforma em um referencial de uma geração ambiciosa que cria grandes expectativas para o cinema Norueguês, afinal, "reputação é tudo"!




Rapidinha: Saiba mais sobre a atriz que interpreta Heather Mason


Assim que assumiu o posto de diretor de SILENT HILL - REVELAÇÃO, o britânico Michael J. Bassett foi direto ao seu blog pessoal pedir uma ajuda aos fãs da famosa franquia de games. A intenção seria receber deles, os maiores interessados e grandes especialistas, sugestões de atrizes que pudessem interpretar a personagem principal, Heather Mason / Sharon Da Silva, filha adotiva de Harry / Christopher (Sean Bean) e protagonista do jogo “Silent Hill 3”. As duas únicas exigências: deveria ser uma atriz que pudesse interpretar, de maneira realista, uma garota de 18 anos de idade, e que fosse alguém com relativa experiência cinematográfica – tendo, no mínimo, uma página no website IMDb. A escolhida, dentre todas as muitas indicações recebidas por Bassett, foi a australiana Adelaide Clemens.

Nascida na cidade de Sidney, Adelaide, 24 anos, começou sua trajetória como atriz na TV australiana – atuando, por exemplo, na série “Galera do Surfe” (Blue Water High), exibida no Brasil pelo canal pago Boomerang. Indicada a um prêmio Logie Award, importante premiação da TV da Austrália, por seu papel em “Love My Way”, ela começou a mostrar as caras no cinema hollywoodiano com uma pequena ponta em “X-Men Origens: Wolverine”. Este ano, ela poderá ser vista ainda em “O Grande Gatsby”, grandiosa adaptação cinematográfica do clássico da literatura com direção de Baz Luhrmann (“Moulin Rouge”) e estrelada por Leonardo DiCaprio.

SILENT HILL - REVELAÇÃO estreia em circuito nacional no dia 5 de julho.

Sinopse: A jovem Heather Mason passou a vida fugindo, ao lado do pai, de forças que ambos nunca compreenderam muito bem. Mas quando seu pai desaparece misteriosamente, a jovem se depara com uma estranha e terrível realidade que guarda respostas sobre os pesadelos que a infernizam desde a sua infância. Não demora até que Heather descubra que não é a pessoa que imaginava ser, com a ameaça de ficar aprisionada em sofrimento eterno para sempre.

terça-feira, 28 de maio de 2013

A Fúria (He Was A Quiet Man) - 2007


Quando estamos envolvidos por uma rotina comum, passamos parte do dia no local de trabalho, convivemos com colegas de profissão que muitas vezes não nos agradam, se torna comum nosso nível de estresse ser alto e fica pior ainda para quem sofre de distúrbios psicológicos; esse é o caso de Bob Maconel personagem de Christian Slater nesse drama filosófico.

O protagonista inicia a projeção planejando uma forma de assassinar seus colegas de trabalho, o sujeito guarda uma arma em sua gaveta e espera a hora de ter a coragem necessária para o ato. O diretor Frank Capello que também assina o roteiro, é feliz em transformar os objetos em volta do personagem em refúgios de sua mente; alguns exemplos são evidentes; a pequena boneca que representa a paixão de Bob por uma colega de trabalho; o peixe que conversa com ele funciona subconsciente, o outro "eu" do rapaz; e finalmente o revólver, o objeto que pode dar fim ao sofrimento psicológico.

A história fica curiosa quando um colega de trabalho tem a coragem de fazer aquilo que Bob não tem; o homem abre fogo em meio ao escritório e mata a maioria das pessoas odiadas pelo protagonista, mas deixa sua paixão platônica Vanessa Parks (Elisha Cuthbert) tetraplegica; Bob ao ver sua amada baleada no chão abre fogo contra o atirador e o mata; logo ele vira herói e se torna respeitado por todos. Ele rapidamente é promovido por seu chefe Gene Shelby (William H. Macy) Qual será a consequência desse fato na mente do rapaz?

A trama ainda aproxima Bob de Vanessa que inciam um romance nada convencional tendo em vista o estado físico da mesma; as situações criadas pelo roteiro no decorrer da projeção passeiam do romance a comédia sem dificuldades e isso sem deixar o drama de seu pergonagem principal de lado.

Vale destaque a composição criada por Frank Capello para a película; a ideia do diretor era chamar a banda Coldplay para tocar a música, mas o baixo orçamento fez com que o próprio diretor a gravasse e o resultando é excelente; a canção complementa um momento chave do filme e transmite todo o sentimento que Bob passa naquele momento. Christian Slater esta sensacional e entrega uma de suas melhores atuações da carreira.

"A Fúria" é um pequeno grande filme que tem uma mensagem a passar e cumpre seu objetivo sem dificuldades.




segunda-feira, 27 de maio de 2013

Sede De Sangue (Bakjwi) - 2009


Qual a referência de romance vampírico no cinema?! Drácula de Bram Stoker é uma das boas respostas; apos a exibição de "Sede De Sangue" eu incluo essa produção Sul Coreana junto com o clássico citado.

O aclamado diretor Chan-wook Park responsável pela trilogia da vingança composta por "Mr. Vingança", "Old Boy" e "Lady Vingança", entrega sua versão sobre chupadores de sangue! O roteiro também assinado pelo Coreano se mostra um dos mais originais sobre o assunto.

Um popular e bondoso Padre se torna voluntário de um experimento médico afim de conseguir a cura para uma praga que se espalhou na pequena cidade onde habita; acontece que a experiência da errado e o transforma em vampiro. O sujeito tenta reverter esse processo e acaba se envolvendo com a esposa de um amigo, mergulhando assim em um mar de imoralidade que vai contra tudo aquilo que aprendeu em sua religião.

O casal protagonista da conta do recado, lembrando que as atuações no cinema Oriental são mais "exageradas" e esse primeiro contato com esse tipo de atuação pode soar estranho ao publico não acostumado com produções daquele lado do mundo.

Chan-wook Park transforma o padre em vampiro de forma gradual, respeitando a mitologia criada no cinema para esses seres das trevas; os sentimentos mais puros do humano aos poucos vão se transformando em instintos primitivos, onde o desejo sexual e sanguinário se tornam a essência da vida do personagem. O diretor utiliza de planos abertos e fechados, ótimos movimentos de câmera e enquadramentos belíssimos, resultando em uma fotografia espetacular; destaque paras as cenas de sexo que são plasticamente sensacionais.

O embate psicológico entre humano e animal que o protagonista sofre no decorre da projeção, a dúvida entre o amor e instinto leva a história para um dos finais mais extraordinários que já tive a oportunidade de assistir; não encontrei palavras para descrever a poesia visual que se passa em tela.

Esqueça "Crepúsculo" e contemple o verdadeiro romance vampírico dessa geração!




Musas #03 - Jennifer Lawrence





jenniferlawrence20jenniferlawrence19jenniferlawrence18jenniferlawrence17jenniferlawrence16jenniferlawrence15
jenniferlawrence14jenniferlawrence13jenniferlawrence12jenniferlawrence11jenniferlawrence10jenniferlawrence09
jenniferlawrence08jenniferlawrence07jenniferlawrence06jenniferlawrence05jennifer lawrence picturesjenniferlawrence03
jenniferlawrence02jenniferlawrence


domingo, 26 de maio de 2013

Rapidinha: Zumbis em dose tripla!


 Zumbis em dose tripla invadem as locadoras nos lançamentos da PlayArte!

AMANHECER ZUMBI (Zombie Dawn)

Um misterioso incidente em uma remota instalação de mineração liberta uma horda de zumbis com fome de carne humana – causando a dizimação de quase tudo nos arredores. A única ação possível seria fechar aquela área, separando-a completamente do restante da população, impedindo novas infecções. Agora, 15 anos depois, um grupo de mercenários e cientistas é enviado ao local em quarentena para descobrir o que de fato aconteceu naquele complexo...

APOCALIPSE ZUMBI (Zombie Apocalypse)

Mark e Tom, colegas de escola, queriam apenas uma noite de diversão na cidade, para tomar uma e outras no boteco local. Mas eis que um exército de mortos-vivos toma conta das ruas, surpreendendo os dois rapazes e forçando-os a lutar por suas vidas. Contando com a ajuda de Raven, talvez eles tenham uma chance de sair desta sem serem devorados. Mas quem diabos será este tal de Miller, e que conexão sua esposa desaparecida poderia ter com estas horríveis criaturas caminhando por todos os lados? Talvez seja tarde demais para estes sobreviventes...

DOMINAÇÃO ZUMBI (Zombie Apocalypse: Redemption)

No futuro, os zumbis superaram (e muito!) os humanos em número e todos os dias são uma luta para garantir o amanhã. Quando está prestes a desistir de sua batalha diária, John Knox acaba sendo salvo por um grupo de sobreviventes liderado por um misterioso homem chamado Moses. Solitário por natureza, ele se junta ao grupo relutantemente. Mas vai ter que lutar ao lado deles quando uma gangue de maníacos ataca o seu esconderijo, capturando todos em seu caminho. Agora, Knox e seus novos companheiros terão que usar todos os recursos à mão (incluindo os zumbis!) para resgatar as vítimas de uma verdadeira fortaleza.

quinta-feira, 23 de maio de 2013

João E Maria Caçadores De Bruxas (Hensel & Gretel Witch Hunters) - 2013


Esse era um dos que entrariam para minha lista de boicote; antes de assisti-lo minha opinião era que se tratava de mais um "blockbuster" feito para pessoas que não se importam com bons roteiros; o fato é que esse filme é isso mesmo, o diferencial aqui é que a produção não se leva a serio.

"João e Maria: Caçadores De Bruxas" conta com Tommy Wirkola diretor Norueguês que faz sua estreia no cinema Americano; diga-se de passagem, um diretor de colhões, até porque não é qualquer diretor que no mesmo "blockbuster" mata crianças, faz jorrar sangue em tela e ainda presenteia o espectador com cenas de nudez e bruxas que mais parecem demônios?! O ponto falho da direção foi picotar as cenas de luta que perdem todo o charme com esse tipo de edição.

Jeremy Renner (João) e Gemma Arterton (Maria) são os irmãos que viram caçadores de bruxas; encare como uma adaptação livre desse conto. O casal de protagonistas esta muito bem, Jeremy se destaca cada vez mais em grandes produções e Gemma Arterton se encaixou perfeitamente no papel. No elenco ainda temos a Norueguesa Ingrid Bolso Berdal que constantemente é escalada para produções americanas e começa a ser merecidamente reconhecida mesmo que aqui tenha um pequeno papel como bruxa; destaque mesmo fica para Famke Janssen que apresenta excelente atuação como a principal bruxa da película.

O roteiro tambem é assinado por Tommy Wirkola em parceria com Dante Harper, e se trata de uma bomba sem precedentes; eu passei a projeção inteira me perguntando em que lugar os irmãos caçadores de bruxas conseguiram aquelas roupas totalmente à frente do seu tempo. Qual a origem de armas com tecnologia tão avançada?!

Essa é aquela tipica produção que se fosse feita nos anos 80 seria bem mais divertida,  um dos pontos em questão são os efeitos especiais; o CGI pode ser mais pratico, mas ele ainda não convence parte do publico e eu me incluo nesse grupo. Em contrapartida a maquiagem das bruxas ficaram assustadoras!

"João e Maria" apesar das falhas se mostra eficiente em sua proposta; diversão rasteira para assistir com cérebro desligado.




quarta-feira, 22 de maio de 2013

Soundtracks #04 - Fuga - Presos No Gelo - As Donas Da Noite - O Segredo Da Cabana




"Fuga" é uma produção Norueguesa com trilha sonora espetacular; vocais femininos e guitarras pesadas são os pontos fortes da banda Bendik que faz folk rock da melhor qualidade; a trilha tem perfeita sintonia com o filme.







"Presos No Gelo" é mais uma produção Norueguesa com ótima trilha sonora; aqui a responsável por embalar os jovens nas frias montanhas da Escandinávia é o bom Turbonegro que pratica uma interessante mistura de hard rock com punk.




"As Donas Da Noite" produção Alemão sobre vampiros; a trilha não poderia ser diferente, música eletrônica bizarra, vocais femininos com letras em alemão.




"O Segredo Da Cabana" possui uma ótima trilha sonora assinada pelo Nine Ich Nails.



terça-feira, 21 de maio de 2013

O Último Trem (The Midnight Meat Train) - 2008


Para escrever sobre "O Último Trem" se faz necessário comentar um pouco sobre a mente por trás desse projeto, Clive Baker que aqui assina roteiro e produção. Esse sujeito foi responsável por uma das melhores e mais assustadoras produções de terror de todos os tempos, o clássico "Hellraiser"; o demonio Pinhead - o sujeito com o rosto cheio de alfinetes, até hoje é uma das referencias de "medo" da sétima arte. Baker ainda foi é "culpado" por criar outro "monstro" do cinema, o assustador Candyman, "O Misterio De Candyman" comprovou a genialidade do sujeito, que ainda conta com outros clássicos como "Raça Das Trevas" e "A Maldição De Quick Silver".

Apresentação devidamente feita chegou a hora de comentar sobre "O Último Trem" onde Baker escalou o Japonês Ryhuei Kitamura, conhecido por obras do porte de "Azumi" e "Portal Da Ressureição", aqui o oriental faz sua estreia no cinema americano.

No elenco temos Bradley Cooper como protagonista, sim aquele mesmo de "Se Beber Não Case" e "Amor A Toda Prova", vivendo o fotógrafo Leo Kaufman que é contratado por uma renomada proprietaria de galeira de arte Susan Hoff (Brooke Shields), para registrar através de suas lentes o lado obscuro da humanidade. Kaufman então resolve fotografar as madrugadas de uma estação de trem; é nesse cenário que o rapaz cruza com o assassino Mahogany (Vinnie Jones) um assassino que ataca cruelmente seus passageiros sempre no ultimo trem do dia.

Fascinado pela oportunidade de se tornar famoso com suas fotos e ainda desvendar vários assassinatos Kaufman entra em um jogo psicológico onde o único afetado sera ele; a busca por imagens do sanguinário Mahogany se torna uma obsessão que afeta diretamente seu relacionamento com sua namorada Maya Jones (Leslie Bibb).

A história de Baker caminha por lugares comuns até o momento onde grandes revelações são feitas e um final assustadoramente saboroso e original aguarda o espectador; em outras palavras o filme caminha pelo suspense e em seu terceiro ato se torna um terror digno de uma das mentes mais insanas da sétima arte.

O diretor Kitamura não economiza no sangue e na brutalidade de suas cenas, espere até ver o assassino amassando o cranio de suas vitimas com o auxilio de um martelo, tudo on screen; de quebra o diretor nos presenteia com uma cena sensacional onde os persongens realizam um embate físico no trem em movimento onde a câmera de Kitamura entra e sai do local sem perder o foco na luta, utilizando recursos cinematográficos que raramente são vistos nesse tipo de produção.

"O Último Trem" é um pesadelo em forma de cinema, escrito por uma mente genial e doentia, com direção e elenco acima da media essa obra se torna obrigatória para todos os fãs do horror.