sexta-feira, 6 de abril de 2012

Poder Sem Limites (Chronicle) - 2012


"Poder Sem Limites" passou despercebido pelos cinemas do mundo talvez por utilizar o já saturado formato de "hand cam", e as pessoas que ignoraram a produção por esse motivo deixaram de assistir um excelente filme que consegue inovar em uma linguagem já batida.

A plot do filme é simples, trés jovens que encontram uma especie de meteorito e adquirem poderes, aos poucos eles vão "treinando" e se tornando cada vez mais fortes. Parece clichê mais o roteiro humaniza os personagens e isso junto com o tipo de filmagem ajuda a tornar o filme mais próximo da realidade por mais fantasiosa que a historia seja.

Logico que o "poder" muda as pessoas e jovens estão mais propícios a isso, e o roteiro assinado por Max Landis é feliz em mostrar que os garotos utilizam isso para brincadeiras simples, para impressionar garotas, para se vingar de machões da escola, mas o que acontece se esse poder cai nas mãos de um jovem cheio de problemas pessoais e consequentemente instável emocionalmente?! Esta ai o maior acerto do roteiro, o personagem Andrew Detmer (Dane Dehann) não é malvado, não é mal caráter, ele se torna vitima de seus problemas e culpa o mundo por isso, ele não é um vilão.

Grande destaque para as filmagens, devido aos poderes os personagens conseguem controlar a câmera sem utilizar as mãos, o que garante mais liberdade para mostrar o que realmente esta acontecendo, e durante toda a projeção o diretor Josh Trank utiliza desde câmeras de segurança, até câmeras de celulares, isso funciona perfeitamente em algumas cenas antológicas como a ultima batalha onde os personagens voam e isso é mostrado pelo celular das pessoas que estão nos prédios.

Os efeitos especiais são um show a parte, o elenco todo esta a vontade o que torna "Poder Sem Limites" um dos melhores filmes do ano.



quinta-feira, 5 de abril de 2012

A Mulher De Preto (The Woman In Black) - 2012


A mulher de preto marca a volta da Hammer produtora clássica de filmes de terror. E mantendo a tradição a produtora nos apresenta um excelente filme de terror feito ao estilo clássico sem muita frescura. No elenco temos Daniel Radcliffe que busca se distanciar de seu papel em Harry Potter.

Na pele de Arthur Kipps, Daniel consegue mostrar que tem potencial para não ser eternamente reconhecido como "o bruxinho", sua atuação é convincente e segura o filme já que o roteiro exige isso de seu protagonista. Arthur tem a missão de viajar para a pequena vila Crythin Gifford para cuidar dos pertences de um cliente recém falecido. Então ele é jogado na mansão mal assombrada e cheia de mistérios que pertencia ao morto.

O roteiro é simples mas consegue prender a atenção do publico com uma historia curiosa sobre uma mulher vestida de preto que aterroriza as crianças da vila. Logico que a direção de James Watkins utiliza de alguns efeitos do cinema moderno para assustar o publico, mas o grande destaque da direção é manter os moldes clássicos do gênero.

Em tempos onde os filmes de terror de "espirito" andam saturados com varias "Samaras" povoando produções de péssima qualidade, "A Mulher de Preto" ensina como se faz cinema de terror moderno de qualidade e principalmente, respeitando suas origens.


quarta-feira, 4 de abril de 2012

A Lista (The Hit List) - 2011


William Kaufman, é esse o nome do diretor de "A Lista", e por que tanto destaque para ele? Porque esse cara é o novo nome para filmes de ação, ele consegue fazer roteiros que passeiam por lugares comuns mas com identidade e consegue em sua direção expressar as melhores influencias dos filmes de ação clássicos e atualizar para o cinema moderno sem cair no clichê da edição de video clip. Esse mesmo diretor foi responsável por Sinners And Saints que é o melhor filme de ação dos últimos tempos.

Tendo como estrela principal Cuba Gooding Jr, e um bom elenco de apoio, Kaufman que também assina o roteiro nos apresenta a Allan Campbell (Cole Hauser) um homem casado e que tenta ser promovido no trabalho, acontece que o mesmo não consegue essa promoção e ao chegar em casa encontra sua esposa na cama com seu melhor amigo.

Afogando seus fracassos em um bar vazio, ele faz amizade com Jonas Arbor (Cuba Gooding Jr) que durante a conversa informa para Allan que é um assassino profissional e pede para que faça uma lista das pessoas que ele gostaria que morressem. Allan não acredita na historia e faz a lista. Acontece que no dia seguinte Allan começa a perceber que as pessoas da lista estão morrendo e que realmente se trata de um assassino profissional.

Essa plot é excelente e rendeu uma sensacional atuação de Cuba Gooding Jr, não esquecendo do restante do elenco que mantem a qualidade de atuação acima do comum para filmes do gênero. Sem esquecer que o ponto alto do filme são as cenas de ação. Uma produção com vários atrativos, que merece ser vista e reconhecida.